Emicida - AmarElo (Sample: Belchior - Sujeito de Sorte) part. Majur e Pabllo Vittar

3.702.926 views
285252 7444

Baixar música no Celular
Loading...
Failed to get links, Please try again.

Descrição:

Música:
Voz: Emicida, Majur (Artista gentilmente cedida por UNS Produções) e Pabllo Vittar (Artista gentilmente cedida por Mataderos LTDA)
Letra: Emicida
Música: Felipe Vassão e Dj Duh
Sample: "Sujeito de Sorte" de Belchior (Fonograma gentilmente cedido por Universal Music International e autoral gentilmente cedido por Fortaleza Editora Musical/Corisco)
Gravadora: Laboratório Fantasma
Direção Geral: Evandro Fióti
Produção executiva: Raissa Fumagalli
Assistente de produção executiva: Lohana Schalken
Preparação vocal Emicida: Thiago Jamelão
Mixagem: Maurício Cersosimo
Masterização: Maurício Gargel
Voz de Emicida gravada por Tofu Valsechi em Lab Estúdio e voz de Pabllo Vittar e Majur gravada por Igor Ferreira em Estúdio Veloso.

Clipe:
Roteiro: Emicida
Direção: Sandiego Fernandes
Assistente de direção: Jeff Libluc
Direção executiva: Evandro Fióti
Coordenação executiva: Raissa Fumagalli
Produção executiva: Lohana Schalken e Vanildo Ricardo
Direção de fotografia: Sandiego Fernandes
Imagens: Sandiego Fernandes e Brenald Carvalho
1º assistente de câmera: Brenald Carvalho
Locadora de audiovisual: Naymar
Diretor de arte: Jeff Libluc
Edição: Sandiego Fernandes
Finalização: Ivo Querido e Deymon
Color branding: Sandiego Fernandes
Gaffer: Gabriel Escava
Produção executiva BlakkStar: Dalton Silva
Chefe de produção: Jackson Lima
Coordenador de produção: Yuri Lages
Assistentes de produção: Jefferson Santos (Parazin), Lu Bonfim, Matheus Ribeiro, Tiago Rodrigo e Tuany Nascimento
Produção de elenco: Jeff Libluc
Produção Local (Complexo do Alemão): Renata Trajano
Produtor de A&B: Helcimar Lopes
Catering: Toca do Lobo Produções
Maquiagem Emicida e Majur: Beatriz Nonato
Styling Emicida: Emicida
Styling Majur: Bruno Pimentel
Majur veste Victor Hugo Mattos
Styling Pabllo Vittar: João França
Beleza Pabllo Vittar: Pedro Moreira
Camareira: Ana Paula Tomaz
Elenco: Emanuelle Araujo, Faiska Alves, Fumassa Alves, Jalmyr Vieira, Lu Cuelho, Maria Farias, Mary Manoel, Paloma Soares, Ronald Sheik, Sativa'mente, Tuany Nascimento e Vanderson Alves da Silva
Chefe de segurança (Complexo do Alemão): Iranildo dos Santos
Seguranças: Cristiano Mello, Daniel Correa, Denilson Silva, Derick Morais, Douglas Silva, Helenilton Lopes, Marlon Monteiro, Marcio Monteiro, Rodrigo Pereira e William Firmino
Vans artístico: JL Viana Locadoa
Motorista técnica: Pardal
Motoboy do set: Tiago Silva
Apoio: Voz da Comunidade, Casa da Voz, Renê Silva, Roberta Rodrigues, Tiago Bastos, Gustavo Lima e Flavia Costa

Agradecimento especial ao Complexo do Alemão e a Voz das Comunidades

Letra:
Presentemente eu posso me considerar um sujeito de sorte
Porque apesar de muito moço me sinto são e salvo e forte
E tenho comigo pensado, Deus é brasileiro e anda do meu lado
E assim já não posso sofrer no ano passado
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro

Eu sonho mais alto que drones
Combustível do meu tipo? A fome
Pra arregaçar como um ciclone (entendeu?)
Pra que amanhã não seja só um ontem
Com um novo nome
O abutre ronda, ansioso pela queda (sem sorte)
Findo mágoa, mano, sou mais que essa merda (bem mais)
Corpo, mente, alma, um, tipo Ayurveda
Estilo água, eu corro no meio das pedra
Na trama, tudo os drama turvo, eu sou um dramaturgo
Conclama a se afastar da lama, enquanto inflama o mundo
Sem melodrama, busco grana, isso é hosana em curso
Capulanas, catanas, buscar nirvana é o recurso
É um mundo cão pra nóiz, perder não é opção, certo?
De onde o vento faz a curva, brota o papo reto
Num deixo quieto, num tem como deixar quieto
A meta é deixar sem chão, quem riu de nóiz sem teto

Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Tenho sangrado demais, tenho chorado pra cachorro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro
Ano passado eu morri mas esse ano eu não morro

Figurinha premiada, brilho no escuro, desde a quebrada avulso
De gorro, alto do morro e os camarada tudo
De peça no forro e os piores impulsos
Só eu e Deus sabe o que é não ter nada, ser expulso
Ponho linhas no mundo, mas já quis pôr no pulso
Sem o torro, nossa vida não vale a de um cachorro, triste
Hoje cedo não era um hit, era um pedido de socorro
Mano, rancor é igual tumor envenena raiz
Onde a platéia só deseja ser feliz (ser feliz)
Com uma presença aérea
Onde a última tendência é depressão com aparência de férias
Vovó diz, Odiar o diabo é mó boi, difícil é viver no inferno
E vem a tona
Que o mesmo império canalha, que não te leva a sério
Interfere pra te levar a lona
Revide

(Letra completa nos comentários)

Publicado em

25 Jun 2019

Categoria

Musica